Eu assisti: Thor

 

E eis que só nessa reta final para Os Vingadores é que consegui ver Thor. Bem, pelas críticas que vi na época que o filme foi lançado, achava que era um filme bem mediano, que não agradava nem desagradava. Mas o que eu vi foi um filme ótimo, que me empolgou do começo ao fim.

Sim, tem alguns defeitos, mas o saldo total é bastante positivo. Na verdade, o principal problema do filme é que ele é uma história de redenção do Deus do Trovão. Assim, temos uma história do arrogante Thor se tornando mais humilde.

Mas esse clichê é algo pequeno se comparado com as coisas incríveis desse filme: várias referências ao Universo Marvel, os belos efeitos especiais, a mitologia incrível do personagem muito bem adaptada e acima de tudo, Loki.

Sim, o irmão invejoso de Thor rouba muitas das cenas do filme, e o ator Tom Hiddleston consegue dar vida a um vilão no nível de Magneto e quase um Coringa.

E mesmo com algumas cenas de ação muito boas no filme, para mim as melhores foram as de Loki armando seus planos.

Como falei lá em cima, Thor está cheio de referências. Adorei ver quando falaram de forma implícita sobre Bruce Banner (se referindo a ele como “um cientista pioneiro em radiação Gama”) e ao Homem de Ferro.

O final não é algo tão feliz, mas também não é uma tragédia. Considerei um bom final.

Mas a cena pós-créditos é que foi realmente incrível, reunindo Loki e Nick Fury em uma cena que será de grande importância para Os Vingadores.

Minha empolgação com o filme dos Heróis Mais Poderosos da Terra está a mil, e só o que posso desejar é que 27 de abril chegue logo.