E faz dois anos que Dio morreu

Isso mesmo, o tempo passou rápido e já estamos há dois anos sem o maior músico que o Heavy Metal já viu (ou ouviu, melhor dizendo).

Falar de Ronnie James Dio é difícil, pois ele teve uma carreira muito rica. Então decidi postar aqui algumas das suas músicas que mais curto, passando pelas três bandas mais famosas que ele participou: Rainbow, Black Sabbath e sua banda solo, Dio.

Aliás, tudo o que tem pra saber sobre ele já foi dito na incrível série de textos feita pelo site Delfos. Lá tem muitas curiosidades sobre sua vida musical e pessoal, uma biografia sobre o nosso grande “arco-íris no escuro”. Uma leitura muito mais que recomendada.

Sem mais palavras, vejam a seleção das minhas músicas favoritas cantadas pelo grande Dio.

No Rainbow


 

No Black Sabbath

 

Em carreira solo

Game of Thrones 02×02: The Night Lands

Só o que posso falar desse episódio é que ele foi bom. E ponto. E “bom” não é tanto pra uma série como Game of Thrones, em todos os episódios antes desse são excelentes.

O motivo de eu classificar o episódio apenas como “bom” é que ele muda certas partes do livro e apresenta algumas cenas desnecessárias. Vou falar delas nos próximos parágrafos.

Na abertura do episódio temos Pyke sendo introduzida, que me empolgou tanto quando Pedra do Dragão no episódio anterior.

As cenas com Arya ainda foram menos do que eu imaginava, mas já estão crescendo. Gostei de ver a interação dela com os três homens acorrentados na carroça, e como Yoren expulsou os homens de manto dourado.

Tyrion enviou Lorde Janos para a Muralha, em uma das melhores cenas do episódio. Claro, o anão é um dos personagens mais incríveis da série. Aliás, nessa cena teve uma mudança com relação aos livros: Tyrion nomeou Bronn Comandante da Patrulha da Cidade, e não Jacelyn Bywater. Eu considerei essa mudança interessante e até gostei dela.

Theon chegou em Pyke! E o cenário ficou ótimo, realmente incrível. E muitos dos pequenos detalhes que estavam no livro apareceram aqui. De diferente só teve mesmo a introdução da irmã de Theon, Asha (chamada na série de Yara) já nesse episódio, um pouco antes que em A Fúria dos Reis. Mas isso eu entendo, já que é preciso ter um pouco mais de pressa pra apresentar certos personagens na série.

Na verdade, as “cenas desnecessárias” que falei lá em cima são as que se passam no bordel de Mindinho. Essa história lá já deu o que tinha quer dar, foi bom usar ela para mostrar o massacre dos bastardos em The North Remembers, mas agora se tornou muito chato.

Eu quero ver é a guerra, não uma prostituta assustada com o Lorde Baelish. Espero que se dediquem mais aos personagens realmente importantes e parem de mostrar essa história que não contribui nada com o andamento da série.

Nesse episódio Davos nos foi devidamente apresentado. “Stannis é meu deus”, disse o ex-contrabandista, mostrando o seu sentimento de gratidão para com aquele que lhe deu títulos e terras.

Daenerys teve um destaque ainda menor do que no episódio anterior. Mas isso não é um ponto ruim, estão indo com calma na parte dela da história.

E a cena final foi uma das mais chocantes (e mais legais) da série: Jon Snow viu Craster entregando um bebê para um Outro comer.

Mesmo com algumas falhas (isso na minha humilde opinião) nesse episódio, a temporada se encaminha para algo muito maior e, claro, muito mais épico que a anterior.

Game of Thrones 02×01: The North Remembers

O inverno voltou… E em estreia mundial! Fiquei muito surpreso (e empolgado) ao saber que até mesmo a HBO brasileira passaria o tão esperado primeiro episódio da segunda temporada de Game of Thrones.

O hype em cima do retorno da série estava mais alto que o Ninho da Águia, e decepcionar os fãs seria fácil. Mas não pra HBO. Conseguiram fazer um ótimo season premiere.

Logo na abertura vemos uma leve mudança, com Pedra do Dragão aparecendo no mapa. Não é nada demais, mas pra nós fãs é algo muito legal.

A primeira cena é a do torneio para o dia do nome de Joffrey, onde Tyrion aparece para tomar seu lugar como substituto da Mão do Rei. E Peter Dinklage como sempre dando um show de atuação.

Stannis está se aliando a religião de Melisandre. Como eles são personagens novos, vou falar sobre a caracterização deles. Ela se parece muito com o descrito nos livros, mas Stephen Dillane como Stannis não me lembrou de quase nada do personagem que eu imaginava quando lia as descrições de Martin.

Daenerys atravessa um deserto com seu khalasar e seus dragões. Aliás, como eles são bem-feitos! Parecem que estão ali mesmo com a khaleesi.

Bran como Senhor de Winterfell foi algo muito bom de ver. E quando Osha disse que o cometa “significava dragões” para o menino meu lado fã pirou.

As cenas da Patrulha da Noite foram muito legais. O Mormont dando um sermão em Jon foi uma das melhores cenas do episódio.

O lobo gigante de Robb, Vento Cinzento, cresceu muito e por isso agora ele é feito em CG. E como os dragões ele ficou incrível.

Começamos a ver que o Theon vai ter um destaque muito maior nessa temporada. Eu sempre gostei do personagem, e adorei quando ele disse a Robb “Eu não sou um Stark, mas seu pai me criou para ser um homem honrado”.

Não posso deixar de falar da conversa de Catelyn e o Rei do Norte. Ele está começando realmente a virar um grande estrategista militar, um verdadeiro rei. Seu amadurecimento é nítido. E claro, a frase “tem um rei em cada canto agora”, dita pela Senhora Stark, foi impagável.

Arya teve menos destaque nesse episódio do que eu imaginava. Mas tudo me leva a acreditar que no próximo ela vai aparecer bem mais.

No geral o episódio apresentou a grande maioria dos personagens principais conhecidos e os novos, além de mostrar o encaminhamento dessa temporada, e tudo o que podemos esperar de grandioso dela. The North Remembersfoi o episódio perfeito para acalmar a ansiedade dos fãs.

Skoob

Sempre fui apaixonada por livros, ler sempre me deu prazer, e pra aqueles que dividem a mesma opinião comigo que a leitura é um otimo hobbie, existe a rede social Skoob.
 Para quem não conhece, Skoob é um lugar onde você organiza os livros que você já leu, quer ler,  esta lendo ou relendo em uma estante virtual. Além disso, você ainda favorita seus livros, seleciona os desejados para presentes e participa de grupos para discussão sobre os autores e suas obras.


Além dessas características, você ainda pode controlar o número de páginas que você lê por dia, quais livros você emprestou, quais que colocar na meta de leitura, fazer resenhas do livro desejado, avaliar a obra, quais livros abandonou, e alem de uma variedades de amigos para compartilhar sua opiniao. Enfim…para os leitores de plantão, esse é um ótimo lugar para quem ama livros:  http://www.skoob.com.br/

Top 3 cenas musicais memoráveis em séries

É isso mesmo, preparei agora mais um “Top x qualquer-coisa” pra vocês. Sim, eu sei que vocês não aguentam mais esse tipo de post, mas dessa vez é sobre as melhores cenas musicais de séries. Aposto que vocês vão gostar.

Ah, só um aviso antes que você comece a ler: não gosto de séries musicais propriamente ditas, então não espere encontrar algo como Glee aqui. Além disso, não são cenas em que personagens cantam músicas, mas sim que músicas famosas tocam ao fundo delas. Pronto, avisos dados, vamos assisti-las.

3 – Livin’ On A Prayer – Everybody Hates Chris 

A última cena de Todo Mundo Odeia o Chris é também uma das mais legais de toda a série. Ao som de Livin’ On A Prayer, do Bon Jovi, Chris e sua família esperam o resultado da prova que decidirá o futuro do nosso odiado protagonista. A cena (e também a série) termina no momento em que Julius chega com o resultado, sem que fiquemos sabendo qual é. Vale muito a pena ver.

2 – Tom Sawyer – Chuck

Chuck era um seriado incrivelmente legal. Conseguia unir (de forma genial) duas coisas que pareciam opostos naturais: o mundo da espionagem e o mundo nerd do qual o protagonista fazia parte. E uma das cenas mais memoráveis da série é quando o Chuck joga um game arcade enquanto ao fundo era tocada a música Tom Sawyer, do Rush.

1 – Carry On My Wayward Son – Supernatural 

(Clique aqui para ver o vídeo dessa cena. É que não encontrei NENHUM vídeo dela no Youtube que a incorporação estivesse liberada.)

Ao final de qualquer season finale de Supernatural tem uma retrospectiva de toda a temporada embalada pela música Carry On My Wayward Son, do Kansas. . Como são muitos desses momentos, resolvi escolher o que eu acho o melhor “The Road So Far” da história da série: o da quinta temporada.

Espero que tenham gostado da lista. E se vocês conhecem outros momentos assim em seriados legais falem aí nos comentários.

Saint Seiya: Next Dimension Vol. 1 [Impressões]

Como alguns de vocês devem saber, eu sou muito fã de Saint Seiya (ou Os Cavaleiros do Zodíaco, como o anime é conhecido no Brasil).  Desde criança sempre gostei das aventuras dos defensores de Athena, e a partir de 2009 comecei a comprar volumes aleatórios de Lost Canvas (que é uma espécie de spin-off do mangá original, se passando mais de 200 anos no passado).
E em julho do ano passado, junto com o anúncio de Bakuman(outro mangá que adoro), a JBC comunicou que iria trazer outro spin-off de CDZ: Next Dimension. Ele começou a ser lançado em agosto, mas aqui em Sergipe mangás e HQs costumam ter problema com a distribuição (a Panini que o diga) e então só achei o volume 1 nas bancas agora em janeiro.
Logo quando se folheia o mangá nota-se uma grande diferença da maioria dos outros: ele é totalmente colorido. Isso dá charme a mais nele, e a JBC manteve assim na publicação brasileira. Infelizmente isso reflete no preço do mangá, fazendo com que ele custe 14, 90.
Logo que comecei a ler a história não me agradou muito (acho que porque estava acostumado a ler as aventuras de Tenma e companhia pelas mãos da Shiori Teshirogi), mas logo depois eu comecei a gostar dela.
Aliás, vale um pouco comentar sobre ela: a premissa é muito parecida com a de Lost Canvas, mas com a diferença de que aqui passado e futuro do universo criado por Masami Kurumada se cruzam constantemente.
E é isso, fora a história que demorou pra me cativar, eu gostei bastante. Além de contar a história da Guerra Santa do passado Next Dimension continua a história da era de Seiya (de um jeito diferente do visto no filme Prólogo do Céu), e isso é bem legal.
Tenho certeza que nos próximos a história melhorará ainda mais, e eu vou tentar acompanhar o mangá.

O primeiro episódio dos Simpsons

Amanhã é véspera de Natal, meus amigos. Dia de comer a ceia e ganhar presentes e tal. E pra entrar no clima eu resolvi preparar um texto sobre o primeiro episódio de uma das maiores (se não, a maior) série de todos os tempos: Os Simpsons.
Acho que deve ter algumas (talvez muitas) pessoas que nunca viram o primeiro episódio da série, e essas ficaram com cara de “WTF?” quando relacionei Natal com esse episódio. Mas é que o episódio de estreia do pessoal de Springfield foi um especial de Natal, e que episódio bom!
Ele começa nos apresentando vários elementos que depois seriam recorrentes na série como o humor afiado, a “rivalidade” de Homer com Flanders e um dos motivos  porque nós viríamos a adorar Bart.
Diferente de muitas (muitas mesmo) obras natalinas que são um amontoado de clichês, o episódio em nenhuma hora cai na mesmice ou repete o que já foi feito milhares de vezes. Tem até partes em que os protagonistas se dão mal.
O episódio tem uma série de momentos impagáveis, mas o melhor mesmo é quando Homer trabalha de Papai Noel no shopping.
Outra coisa legal é que ele conta a origem do Ajudante de Papai Noel, o cachorro da família. E é nesse momento que Os Simpsons mostra que realmente não se rende a clichês e cria um final ótimo pro episódio.
E fica uma dica de uma coisa legal pra vocês assistirem no Natal. E nem é só esse, mas os outros especiais de Natal dos Simpsons também são legais. E como estou legal hoje, eu também recomendo que assistam os especiais de Natal de Futurama (a outra série de Matt Groenning), que são impagáveis, com o Papai Noel robô que assassina qualquer um que esteja na rua na noite de Natal.

Bomba da semana #3

Mantendo minha promessa de atualizar essa coluna semanalmente, hoje eu apresento mais uma coisa ruim pra vocês: o clipe da música The View, do álbum Lulu.

Pra quem não sabe o que é o Lulu e nem quis clicar no link da nossa simpática resenha, eis a explicação: ele é um álbum do Metallica em parceiria com o Lou Reed que tinha tudo pra dar errado. E deu.

Exatamente por isso nem passava pela minha cabeça a ideia de que seria feito um clipe de alguma daquelas músicas chatas. Mas acabou que semana passada saiu um clipe que é tão ruim quanto a própria música. Assiste aí depois a gente continua conversando, certo?

E o clipe nem é da música toda. Porque se fosse seria bem pior.

Aliás, eu fui o único em que esses efeitos na cara do Reed provocaram risos? Espero que não.

Realmente é um clipe ruim, de uma música ruim, de um álbum ruim resultados de uma parceiria ruim. Quero que saia logo o novo CD do Metallica pra que eu esqueça o Lulu e a voz do Lou Reed. Sério.

Bomba da semana #2


Atualizando essa coluna depois de muito tempo. O motivo era simples: eu não consegui achar mais nenhuma coisa tão ruim e de acordo com  proposta do blog pra poder falar mal aqui. Mas as coisas mudaram, e uma notícia sobre aquele reboot sem necessidade do Homem-Aranha me deu a ideia pro novo Bomba da semana (ou devia dizer  “Bomba trimestral”?).
O negócio é que hoje o site russo (?) chamado SpiderMedia.RUdivulgou uma foto do Lagarto do novo filme do Escalador de Paredes. Inicialmente eu ia postar uma notícia falando isso, mas como eu ia falar mal de qualquer jeito, resolvi atualizar essa coluna. Pra começar, vejam a imagem:
 

Isso é o Lagarto? ¬¬
Legal né? Não. Pelo menos não pra mim. Vi gente dizendo que gostou e tal, mas esse Lagarto não me agradou. Cadê o clássico jaleco? Cadê o focinho? 
Eu já não ia com cara desse reboot e agora piorou a situação.
ESSE sim é o Lagarto =]
 Ainda não foi confirmado se essa imagem realmente é oficial do filme ou uma grande trollada desses russos. Sinceramente espero que seja a segunda opção. E você, o que acharia desse Lagarto em O Espetacular Homem-Aranha?

Os curtas da Pixar

Eu sou um grande fã da Pixar desde criança. Adoro Os Incríveis, me emocionei com Toy Story 3 e considero Wall-e uma obra-prima do cinema, por exemplo.
Mas nem só de filmes de longa duração vive o nosso amado estúdio. Os curtas apresentados antes de seus filmes também são geniais. Aí embaixo tem uma lista deles pra você curtir:
Luxo Jr.

 O primeiro curta da Pixar. Talvez você reconheça essa pequena luminária, já que mais tarde ela se tornaria parte do logo do estúdio. Eu lembro que tinha um VHS onde tinham vários outros curtas do Luxo.

A Banda de Um Homem Só

É um curta exibido antes de Carros. Eu o acho muito legal e engraçado, principalmente seu final.

Presto

.

Esse foi exibido antes do ótimo Wall-e. É muito engraçado ver as situações em que o coelho coloca o mágico.

Dia e Noite

Pra mim, o melhor curta já produzido. É simplesmente genial, tanto nos efeitos misturando 2D e 3D quanto na mensagem que quer passar. É o curta que passa antes de Toy Story 3.

E você, gosta dos curtas da Pixar? Prefere algum que não foi citado aqui?
P.S. : Legal essa imagem que abre o post né? Encontrei buscando no Google pelo logo da Pixar. Achei incrível.