Meu episódio favorito de Futurama

Futurama é uma das séries que eu mais gosto, pois além do humor, ele tem uma pegada mais sci-fi (e consequentemente uma pegada nerd).
No final do ano passado (ou no começo desse, não lembro muito bem), eu estava baixando e assistindo os episódios mais novos da série (legendados) e assisti a um que se tornou o meu favorito: “The Late Philip J. Fry”. Nessa terça ele foi exibido pela Band, com o nome de “O atraso de Fry”. Eu o (re) assisti, e tive a ideia de fazer esse post.
No começo dele vemos Fry chegando atrasado ao Planet Express porque Bender não o deixou dormir, pois tinha levado uma “amiguinha” pra casa. O problema é que Fry devia ter levado a Leela pra sair, pois era o aniversário dela. Ele promete leva-la pra jantar num restaurante mais chique, o Cavern on the Green.
Mais tarde, quando estava pronto pra encontrar com ela no restaurante, o Professor Farnsworth pediu que ele e Bender o ajudassem a testar sua nova invenção: uma máquina do tempo que só vai para o futuro. A explicação do Professor pra isso é que “ela só vai para o futuro para evitar que o passado seja alterado, e que alguém faça algo nojento como engravidar a própria avó” (uma referência ao episódio em que Fry fez isso).
Ele diz que eles só avançarão um minuto no futuro, mas eles acabam indo até o ano 10.000. É um futuro desolado, com um cenário de uma Nova Nova York em ruínas. Rola até uma referência à Planeta dos Macacos nessa hora.
Na tentativa de achar uma máquina do tempo que vá para o passado, eles vão a diversos pontos no futuro, até chegar ao ano 1.000.000.000, quando não existia mais vida na Terra. Perdendo suas esperanças, os três resolveram tomar cerveja e ver o fim do nosso planeta azul, e de todo o universo.
Quando tudo parecia ter acabado, eis que acontece o que julgo ser a maior genialidade do episódio (e da série): acontece um novo Big Bang, e o universo é todo recriado, exatamente igual. Ou seja, basta aos três que avancem no futuro e voltarão ao seu tempo.
Enquanto avançavam no tempo, eles foram passando por cenas históricas, e o Professor até mata Hitler. Quando finalmente chegam à época correta, eles acabam matando eles mesmos, cuidando do problema do paradoxo temporal, e rendendo uma cena hilária ao final dele.
Se não bastasse tudo isso, paralelamente à história em que os três estão visitando diferentes futuros, rola uma história em que a Leela assume o Planet Express, e mostra como ela nunca esqueceu Fry. Pra unir as duas histórias, ela escreveu naquela mesma “Cavern on the Green”, uma mensagem que foi se moldando com o passar dos anos, e foi vista por Fry no futuro. Foi a mensagem da imagem abaixo.
É por tudo isso que esse é o meu episódio favorito de Futurama. Mas a série não tem de genial só esse episódio, mas muitos outros, que trazem muitas reflexões, além de muito humor, é claro.
Anúncios

3 comentários em “Meu episódio favorito de Futurama

  1. Realmente Futurama é um desenho muito legal, com uma dose de humor e pitadas de criticas feitas a sociedade bem dosadas. Gosto daquele episodio do Olho Fone, "Eye Fone" no original! Em que a mãe domina quase tudo, foi muito bem bolado também! Ah e aquele do Bender em procura do Inspetor 5! Abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s