Planeta dos Macacos: A Origem [Resenha]

Planeta dos Macacos: A Origem

Nota: 5,0
Título original: Rise of the Planet of the Apes  
Ano: 2011  
Direção: Rupert Wyatt
Roteiro:Amanda Silver, Rick Jaffa
Elenco: James Franco, Freida Pinto, John Lithgow, Brian Cox, Tom Felton e Andy Serkis.  

O Planeta dos Macacos (e suas continuações também) é um grande clássico da ficção científica. Admito que nunca vi os filmes originais (porém já li muito sobre eles na internet), mas eu assisti o remake de 2001 de Tim Burton, quando criança, e mesmo sendo pivete gostei bastante. E por tudo isso eu fiquei com muita vontade de assistir a esse reboot.

Como o nome do filme sugere, ele conta como os macacos conseguiram evoluir ao ponto de dominarem os humanos. E é tudo por causa da busca da cura do Alzheimer!

Têm pessoas que consideram ligar a ficção à algo recorrente no mundo atual uma coisa ruim (como os incontáveis vírus que transformam as pessoas em zumbis em várias obras de diferentes mídias), mas eu gosto disso, me parece mais realista e possível de acontecer, além de enriquecer a trama.

Então, como eu disse tudo acontece porque um grupo de cientistas está procurando a busca para o Alzheimer. É que, ao testar em macacos uma nova droga para curar doença, o cientista Will acaba tornando-os mais inteligentes. Quando a mais inteligente do grupo perde o controle por estar prenha e é sacrificada, ele leva seu filhote recém-nascido para morar em sua casa, e percebe que a droga passou geneticamente para o filho.

O nome do chimpanzé? Cesar. E prepare-se para simpatizar, e torcer não só por ele, mas por todos os seus companheiros, e não pelos humanos.

O filme tem essa como uma de suas muitas qualidades: a de nos mostrar que as pessoas são cruéis e maltratam os pobres macacos, fazendo-nos até mesmo torcer pra primatas superinteligentes dominarem o mundo.

E eu tenho que comentar aqui: os macacos, que são em CG, estão muito bem-feitos. Suas expressões estão perfeitas, e por isso não é necessário que eles falem pra sabermos o que eles pensam.

Ah é, o Tom Felton (o Draco Malfoy, de Harry Potter) está no filme, e seu personagem é um grande filho da puta. Ele o interpreta muito bem, e olha que o papel desse personagem é bem importante pra trama.

As cenas de ação (a maioria aparece mais lá pelo final) são muito boas, principalmente a que os macacos vão andando pela cidade e deixando um rastro de destruição imenso.

Além de tudo isso, ainda tem uns easter eggs pros fãs da saga, como notícias dos astronautas do primeiro filme perdidos no espaço, e uma cena do Cesar observando uma miniatura da Estátua da Liberdade entre as mãos.

Com um ótimo roteiro, ótimas atuações (principalmente do núcleo “não humano” do filme), e um final de arrepiar e empolgar qualquer um que tenha assistido aos filmes originais, Planeta dos Macacos: A Origem é um longa cativante e emocionante, tanto é que eu mal senti o tempo passar enquanto assistia ele.

Anúncios

2 comentários em “Planeta dos Macacos: A Origem [Resenha]

  1. Ótimo post! Também gostei muito do filme e achei que ele passa de maneira muito fluida tambem. O roteiro soube usar muito bem o tempo e rechear um filme d eduração mediana de trocentos momentos memoráveis e informações interessantes.Parabéns pelo blog!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s